queijunto e preso

sobre ter uma vizinha setembro 30, 2009

Filed under: amenidades — a.cartolina @ 4:27 pm

já disse que eu a-do-ro minha vizinha?

sim, gosto tanto que chego a entrar e sair correndo de casa pra evitar de encontrar com ela [vulgo: fugir mesmo!].

minha mãe me ensinou a respeitar os mais velhos, portanto toda vez que a encontro, mesmo nunca estando afim de trocar nem se quer um ‘bom dia’ ou ‘boa tarde’, eu paro e a ouço pacientemente.

normalmente a ouço reclamar de sua bronquite, que o tempo de sp faz muito mal pra saúde dela e logo em seguida ela faz uma piadinha com a idade dela, que ela trabalhava como professora, que agora ela faz serviços de banco para um médico que atende no hospital são luis, aí ela faz outra piadinha falando que ela é office-boa… ha-ha-ha, tão engraçada essa minha vizinha!

e não contente de me usar como ouvido de penico ela ainda desenvolveu a arte de importunar meus convidados que estão chegando ou saindo da minha casa.

mas essa falação toda na minha orelha vem sempre acompanhada de alguma pergunta no final sobre mim, querendo saber se eu tô saindo ou chegando do trabalho, se tal pessoa era meu pai ou tal pessoa era meu namorado…

como sempre faz, essa semana ela elogiou minha pele, [acho que ela sempre me faz um elogio como forma de recompensa por eu a ter ouvido] e pra arrematar falou que eu engordei! e foi ousada essa semana, ainda me deu dicas de exercícios!

eu mereço, né? ver uma senhora de 77 anos me ensinando a fazer exercícios em casa em pleno corredor do prédio?

ouvindo: backspacer [álbum novo do pearl jam]

Anúncios
 

as if

Filed under: Uncategorized — julianay @ 3:31 am

unamujerconsombrero

 

tristeza setembro 29, 2009

Filed under: desabafo — julianay @ 9:14 pm

o que eu tinha de mais importante dentro de mim morreu.
é falta de amor tirar esse sonho de mim.
dói agora. e vai doer sempre.
o mundo não vai parar por causa de um sonho.
nunca parou.
nem pra mais otimista das pessoas. imagine pra quem já está calejado por uma lista de coisas ruins que aconteceram. one after the freaking other.

quer que eu me apegue a que? a essa altura. falar de moda? de fofoca? de show que acontecem em sp?
franz, sonic youth, primal scream, stooges. vi vi vi vi.

eu que sempre quis ir pra frente. tive todas as chances e deixei todas pra trás. porque eu sempre achei que tinha que seguir meu coração.
coração não tem critério. coração não serve pra nada. e eu sou só isso. nem isso mais.

me resta essa tristeza.
que encena ir embora, mas volta. volta sempre que eu caio na real. e vejo o tempo passando. o mundo rodando, as pessoas andando e eu aqui. na mesma. de novo. esperando.

 

ofertas de aninha

Filed under: querido diário — a.cartolina @ 8:51 pm

Eu sou aquela mulher

a quem o tempo

muito ensinou.

Ensinou a amar a vida.

Não desistir da luta.

Recomeçar na derrota.

Renunciar a palavra e pensamentos negativos.

Acreditar nos valores humanos.

Ser otimista.

.

Creio numa força imanente

que vai ligando a família humana

numa corrente luminosa

de fraternidade universal.

Creio na solidariedade humana.

Creio na superação dos erros

e angústias do presente.

.

Acredito nos moços.

Exalto sua confiança,

generosidade e idealismo.

Creio nos milagres da ciência

e na descoberta de uma profilaxia

futura dos erros e violências

do presente.

.

Aprendi que mais vale lutar

Do que recolher dinheiro fácil.

Antes acreditar do que duvidar.

Cora Coralina.

bom seria… antes acreditar do que duvidar!

muita coisa tenho tentado mudar, mesmo sem saber ao certo como fazer. [2]

continuo na empreitada!

 

sem traumas setembro 28, 2009

Filed under: orgulho canceriano — tijolooo @ 10:15 pm

pessimista não, realista!

na tentativa de estar preparada para todo tipo de constrangimento que possa ser causado pelo evento “apresentar o namorado” [e ter o controle, óbvio!], montei na minha cabeça todas as possíveis combinações de comentários e atitudes desagradáveis no maior estilo comédia romântica.

e não é que ajudou?

na expectativa pelo pior, nada poderia ser realmente tão ruim.

foi melhor do que bom, foi ótimo.

comidinha [lê-se: 3kg de salmão só para o sashimi], risadas, conversas agradáveis… interação!

no fim das contas todo mundo gostou e aprovou.

e minha mãe A-DO-ROU [!] os doces com gostinho de infância.

desculpe a apropriação, mas já entrou pra família.

doeu?

ouvindo: o ritmo da chuva

 

para o divã setembro 24, 2009

Filed under: divagações de uma mente intermitente — a.cartolina @ 6:10 am

divã freud

‘vamos apagar a luz para ver melhor o filme’.

caricato, não?

eu achei.

 

sem salvação setembro 22, 2009

Filed under: querido diário — a.cartolina @ 8:35 pm

com todo meu charme e elegância posso ficar ansiosa e transpirar em bicas, posso beber um pouco a mais e quebrar um objeto de valor sentimental, posso dar cabeçada quando converso ao pé do ouvido, posso cair da cama quando levanto pra fazer graça, e ainda, posso me referir a certas ‘coisas’ de forma totalmente inapropriada.

o que me salva é que o bom humor não lhe falta!