queijunto e preso

sobre o odio que eu tenho do twitter abril 30, 2010

Filed under: sem filtro,Uncategorized — tijolooo @ 11:58 pm

esconder é quase admitir a culpa.

fico puta.

e olha que canceriana emputecida sozinha numa sexta as 22h da noite é de dar medo.

P U T A!

 

abril 29, 2010

Filed under: listas — a.cartolina @ 10:58 pm

.

.

.

tem que ter aquela admiração como se eu fosse a única no mundo capaz de fazer tudo o que eu faço.

tem que ter aquele zelo como se eu fosse a pessoa mais indefesa que vc jamais viu.

tem que ter aquele jeito de me receber tão cheio de saudade como se não me visse há 1 mês.

tem que ter aquele olhar pousando em mim como se eu estivesse não só nua, mas como se estivesse a ler os meus pensamentos.

sim, eu mereço!

 

diálogo de um filme ruim abril 28, 2010

Filed under: Uncategorized — julianay @ 12:46 am

– eu não vou mais exigir mais do que vc pode me dar.
– não, por favor. vc tem todo o direito de exigir. deus me livre de curar uma romantica incuravel.

só eu vi. quem tem que ouvir nunca ouve. ou entende errado.

 

gringo

Filed under: Uncategorized — julianay @ 12:41 am

falando com a pessoa que mais me entende nesse mundo. e ela tem o mesmo asco dessa história de ‘gringo’. que porra é gringo? desde quando o que vem de fora é melhor?

o nosso brasil é melhor que o brasil dessa gente pequena. por motivos óbvios.

 

x comprou mimimi

Filed under: Uncategorized — julianay @ 12:35 am

e? nada de errado em querer comprar algo. tudo bem ter um ou outro surto consumista. mas ficar falando que x comprou sei lá o que de inútil e caro e feio, meu amigo. que coisa mais besta. e eu com isso? deveria ficar impressionada? eu não fico. e não é por mal. nada contra a x que comprou mimimi.

já disse. mil vezes. e repito. o que há de mais belo nesse mundo não se compra. e pronto. dá pra vc ver, respirar, viver, sentir. guardar na memória e no coração, mas não dá pra vc ter. então não me encha mais o saco. porque o que eu queria de comprável eu já comprei. quero todo o resto.

ou a luta. mas só por mim. há limites.

 

quero

Filed under: Uncategorized — julianay @ 12:23 am

um pouco de ar pra respirar. um cigarro pra fumar. que meu chefe melhore e volte a trabalhar. três doses de tequila. música para dançar. dinheiro pra gastar. viajar. alguém para cuidar das coisas aborrecidas. só ter que me preocupar comigo mesma. e com a mayaya. mandar o peso que eu carrego nas costas pra puta que o pariu. em resumo, voltar atrás. com as conquistas de hoje e o desapego de ontem.

mais sozinha, mas que se dane. pra isso existem os romances.

 

odiar sogra é tão clichê que me dá sono.

Filed under: Uncategorized — julianay @ 12:07 am

ou como não odiar o odiável.

ah, foda-se. nem isso merece.