queijunto e preso

bicicletchenhaaa abril 25, 2010

Filed under: arquitetando,Uncategorized — tijolooo @ 8:21 pm

vende-se.

R$ 140,00 – lojinha na frei caneca

ela deve ter uns 80 cm de comprimento por uns 45 cm de altura…

interessa?

 

a data mais importante do ano outubro 7, 2009

Filed under: arquitetando — a.cartolina @ 11:03 pm

mais que carnaval, que festa junina, que dia do terapeuta ocupacional, que páscoa, que natal, que reveillon, ou qualquer outra data que seja… sim sim, a data mais importante do ano pra mim é o MEU aniversário!

o mês mal começou e cá estou eu louca pra que chegue logo o meu aniversário!

claro que não é pelos anos que ganho, muito menos pelos primeiros cabelos brancos e primeiras marcas de expressão, mas é um dia que encaro completamente diferente de todos os outros, é o meu dia! não acontece nada em nenhum outro dia do ano que chegue perto do que esse dia proporciona pra mim.

pra ser mais honesta, é o mês todo que encaro com diferença! fico cheia de planos,  de esperanças, cheia de expectativas, e gosto tanto disso!

hoje conversando pelo telefone com um amigo, ele me perguntou se eu estou preparando alguma coisa para o meu aniversário, e eu respondi: ‘ah, aham! claaaaaro!’. e ele não perdeu a oportunidade de me lembrar que normalmente quando a gente pergunta pras pessoas se elas vão comemorar elas respondem meio cabisbaixas que não vão fazer nada não, ou então que ainda não sabem.

pois então, nesse aspecto sou bem diferente, a-do-ro comemorar meu aniversário e curto muito o prestígio de quem eu gosto nesse dia para comigo!

ouvindo: o fungado de um nariz

 

Da necessidade de viajar agosto 23, 2009

Filed under: arquitetando — tijolooo @ 10:30 pm

já dizia um professor da fau a respeito do bom velhinho [lê-se niemeyer]:

“A arquitetura não é arte para ser vista, apenas. É arte para ser vivida, vivenciada. Não se pode apreendê-la com fotografias, nem filmes, nem maquetes, nem nada. Todas estas formas são redutoras, parciais, incompletas. É preciso ir ao seu encontro, tocá-la com as mãos, com os pés, com o corpo todo e seus sentidos amplificados em movimento.”

é uma ótima desculpa!

mas para conhecer todas as linhas do mundo é preciso ter meios e pra isso, um pouco mais de paciência com essa tal de arquitetura…